Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Destaque

Palestra Sustentabilidade Regional realizada 24 de maio em Maracaju, MS

Alcir Muller, diretor e presidente da Revista Ambiente Global A equipe Ambiente Global agradece as autoridades que se fizeram presente ...

Fazenda Beira Rio

Fazenda Beira Rio

Samania Agropecuária

Samania Agropecuária

Doces Gotas de Mel

Doces Gotas de Mel

Publicidade

.

.
SEMENTES SERTÃO

Você bilíngue

Publicidade II

Ads

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A Brasil reduzirá emissões de gases poluentes em até 38% até 2020

São Paulo, 13 nov (EFE).- O Governo brasileiro aprovou hoje um "compromisso voluntário" de reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa entre 36,1% e 38,9% até o 2020, objetivo que apresentará na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, em Copenhague, capital da Dinamarca.


As porcentagens foram definidas em reunião que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve hoje em São Paulo com seus ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Ao apresentar as conclusões da reunião, os ministros destacaram que o estipulado hoje não é uma "meta", mas um "compromisso voluntário" que será alcançado principalmente mediante a redução do desmatamento da Amazônia e da queima de florestas, a maior fonte de emissão de gases poluentes no Brasil.

Segundo os cálculos do Governo, a diminuição do desmatamento na Amazônia suporia deixar de lançar à atmosfera 580 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano.

Lula anunciou ontem que o desmatamento na Amazônia brasileira se reduziu em 45 % entre agosto de 2008 e julho passado em relação aos 12 meses anteriores, o que constitui a menor taxa em 20 anos.

"As ações (para reduzir as emissões) serão voluntárias e submissas a verificação", disse Dilma, que liderará a missão negociadora que o Brasil enviará a Copenhague, entre 7 e 18 de dezembro, e para onde Lula também irá.

Segundo Rousseff, o Brasil "está comprometido com o desenvolvimento sustentável", o que implica uma posição muito clara quanto à redução de gases causadores do efeito estufa.

Além da redução do desmatamento na Amazônia, o Governo pretende alcançar seu objetivo mediante a recuperação de áreas atualmente dedicadas à criação de gado, a maior oferta de energia gerada por hidroelétricas e a diminuição da poluição das siderúrgicas.

Lula também pretende reunir no próximo dia 26 de novembro em Manaus os presidentes dos países amazônicos a fim de elaborar uma proposta conjunta da região para a conferência de Copenhague.

Coincidindo com a reunião de hoje, os industriais brasileiros divulgaram, também em São Paulo, um relatório para a cúpula de Copenhague com o qual pretendem "colaborar para o esforço global em favor da estabilização do clima".

No entanto, os industriais pediram que os participantes da reunião na capital dinamarquesa levem em conta "o direito ao desenvolvimento das nações" e que se respeite o princípio de responsabilidades comuns diferenciadas.

"As grandes indústrias brasileiras, inclusive forçadas pelos bancos, pelo financiamento e pelas seguradoras, e até pela exigência do consumidor, já estão levando muito a sério a mudança climática", disse o gerente executivo da Confederação Nacional de Indústria (CNI), Augusto Jucá. EFE joc/ma



Último Segundo

Postar um comentário

Publicidade II