Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Destaque

Palestra Sustentabilidade Regional realizada 24 de maio em Maracaju, MS

Alcir Muller, diretor e presidente da Revista Ambiente Global A equipe Ambiente Global agradece as autoridades que se fizeram presente ...

Jaburu Distribuidora

Jaburu Distribuidora

Rei das Latas

Rei das Latas

Redes Sociais

Fazenda Beira Rio

Fazenda Beira Rio

Samania Agropecuária

Samania Agropecuária

Doces Gotas de Mel

Doces Gotas de Mel

Publicidade

.

.
SEMENTES SERTÃO

Você bilíngue

Publicidade II

Ads

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A Brasil reduzirá emissões de gases poluentes em até 38% até 2020

São Paulo, 13 nov (EFE).- O Governo brasileiro aprovou hoje um "compromisso voluntário" de reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa entre 36,1% e 38,9% até o 2020, objetivo que apresentará na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, em Copenhague, capital da Dinamarca.


As porcentagens foram definidas em reunião que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve hoje em São Paulo com seus ministros do Meio Ambiente, Carlos Minc, e da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Ao apresentar as conclusões da reunião, os ministros destacaram que o estipulado hoje não é uma "meta", mas um "compromisso voluntário" que será alcançado principalmente mediante a redução do desmatamento da Amazônia e da queima de florestas, a maior fonte de emissão de gases poluentes no Brasil.

Segundo os cálculos do Governo, a diminuição do desmatamento na Amazônia suporia deixar de lançar à atmosfera 580 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano.

Lula anunciou ontem que o desmatamento na Amazônia brasileira se reduziu em 45 % entre agosto de 2008 e julho passado em relação aos 12 meses anteriores, o que constitui a menor taxa em 20 anos.

"As ações (para reduzir as emissões) serão voluntárias e submissas a verificação", disse Dilma, que liderará a missão negociadora que o Brasil enviará a Copenhague, entre 7 e 18 de dezembro, e para onde Lula também irá.

Segundo Rousseff, o Brasil "está comprometido com o desenvolvimento sustentável", o que implica uma posição muito clara quanto à redução de gases causadores do efeito estufa.

Além da redução do desmatamento na Amazônia, o Governo pretende alcançar seu objetivo mediante a recuperação de áreas atualmente dedicadas à criação de gado, a maior oferta de energia gerada por hidroelétricas e a diminuição da poluição das siderúrgicas.

Lula também pretende reunir no próximo dia 26 de novembro em Manaus os presidentes dos países amazônicos a fim de elaborar uma proposta conjunta da região para a conferência de Copenhague.

Coincidindo com a reunião de hoje, os industriais brasileiros divulgaram, também em São Paulo, um relatório para a cúpula de Copenhague com o qual pretendem "colaborar para o esforço global em favor da estabilização do clima".

No entanto, os industriais pediram que os participantes da reunião na capital dinamarquesa levem em conta "o direito ao desenvolvimento das nações" e que se respeite o princípio de responsabilidades comuns diferenciadas.

"As grandes indústrias brasileiras, inclusive forçadas pelos bancos, pelo financiamento e pelas seguradoras, e até pela exigência do consumidor, já estão levando muito a sério a mudança climática", disse o gerente executivo da Confederação Nacional de Indústria (CNI), Augusto Jucá. EFE joc/ma



Último Segundo

Postar um comentário

Publicidade II