Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Publicidade II

Publicidade II

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Reflexo do milho, Bandeirantes teve maior crescimento do PIB em MS

foto: iTribuna
Reflexo do cultivo do milho, Bandeirantes, a 70 quilômetros de Campo Grande, foi o município do Estado que teve maior crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) no comparativo entre 2011 e 2012. Conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o crescimento foi de 32,4%. 
Passando de R$ 111.833.000,00 para R$ 148.125.000,00. Portanto, acréscimo de R$ 36.292.000,00.

De acordo com o economista Eliandres Saldanha, a economia do município de 51 anos reflete o impacto da produção do milho. “Houve aumento expressivo da produção do milho de 2011 para 2012. É um município pequeno, afeta bastante o PIB”, afirma. Segundo ele, neste período, a produção no Estado saltou de três milhões para seis milhões de toneladas.

A produção de milho em Bandeirantes foi de 26.400 toneladas em 2011. Em 2012, o total chegou a 60.456 toneladas.

Já Antônio João, município fronteiriço a 249 quilômetros de Campo Grande, seguiu na direção contrária, com redução de 8,8% na produção de riquezas. O PIB em 2011 foi de R$ 219.798.000,00, contra R$ 200.393.000,00 no ano de 2012.

O melhor e o pior - A produção agrícola também predomina na cidade com maior PIB per capita do Estado. A liderança é de Chapadão do Sul: R$ 43.627,59. A lista das cidades com maiores PIB por pessoa é completada por São Gabriel do Oeste, Costa Rica, Corumbá e Maracaju.

Na fronteira com o Paraguai está o município com o menor PIB per capita. Japorã, a 487 quilômetros de Campo Grande, teve resultado de R$ 7.052,82. O município também tem o penúltimo menor PIB a preço de mercado corrente do Estado: R$ 56.226.000,00.

Concentração – Cinco municípios concentraram mais da metade do PIB em Mato Grosso do Sul. Conforme o IBGE, a soma das riquezas totalizou R$ 54,7 bilhões em 2012 no Estado. Sendo mais de R$ 30 bilhões concentrados em Campo Grande (R$ 16,9 bilhões), Dourados (R$ 4,9 bilhões), Corumbá (R$ 3,7 bilhões), Três Lagoas (R$ 3,3 bilhões) e Ponta Porã (R$ 1,3 bilhão). O menor rendimento foi em Figueirão, com PIB de R$ 56 milhões.

Conforme o economista, as maiores cidades são polos de produção, portanto atraem serviços e comércio, concentrando a produção de riquezas.

Campo Grande News

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Empreendedor produz plástico biodegradável feito a partir de tapioca

Foto: Job Street



Foto: Prodita Sabarini
Há décadas o plástico tem sido usado como uma alternativa barata ao vidro e ao alumínio. Mas o custo que não recai diretamente sobre o bolso do empresário e do consumidor torna-se caro à natureza. Apesar das constantes iniciativas para reciclagem do material, milhões de toneladas vão parar em aterros sanitários todos os anos.

O problema é que o plástico demora de 500 a 1000 anos para ser decomposto. Mas e se houvesse uma alternativa que pudesse ser consumida pela natureza em apenas 10 dias? Essa é a proposta do Ecoplas, um plástico feito com mandioca.

Criado pela empresa indonésia Tinta Marta, o plástico biodegradável usa como base a madioca e, embora seja um pouco mais caro do que o comum, traz bem menos danos ao meio ambiente. Diretor da empresa desde 2000, Sugianto Tandio percebeu que, apesar de facilitar a vida de tanta gente com seu plástico, usado basicamente para a fabricação de sacolas, ele tinha uma grande parcela de culpa quando o assunto eram os danos do homem à natureza. Tandio, ex-funcionário da 3M, empresa mundialmente conhecida por seu potencial inovador, decidiu estudar e aplicar parte dos lucros da Tinta Marta em pesquisa: ele queria desenvolver um plástico biodegradável.




   
Fotos: Tinta Marta

Dez anos após o início de suas pesquisas, a Tinta Marta deu origem à Ecoplas, plástico biodegradável que já é utilizado em sacolas de empresas como a Zara e a GAP, na Ásia e nos Estados Unidos. As 500 toneladas de Ecoplas produzidas todos os meses não trazem benefícios somente à natureza, mas também aos agricultores da região, que agora têm mais um fiel cliente a quem vender a produção de mandioca. “A Indonésia é conhecida por seus recursos, mas nós ainda estamos para trás. Nós precisamos criar e dar valor aos nossos recursos para poder aumentar a riqueza dos indonesos“, afirma o empresário.

Hypeness

Piauí: Polícia Rodoviária Federal prende homem transportando papagaios ilegalmente



A PRF prendeu um indivíduo de iniciais R.P.A. , 32 anos, transportando papagaios de forma ilegal neste sábado (06) em Nazaré do Piaui.

Durante as atividades de fiscalização, foi abordado o veículo VW/Parati 2.0 conduzido por R.P.A. . Com ele, foram encontrados e apreendidos os três pássaros que eram transportados em uma gaiola.

O cidadão foi enquadrado por caça ilegal de acordo com a lei 9605/98 art.29.

Portal Meio Norte

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Manaus (AM): Condomínio coloca tela em palmeiras e 200 periquitos morrem no local

A suspeita é que os animais, que estavam mais vulneráveis por não poder pousar nas árvores, tenham sido envenenados

Periquito preso em tela instalada por condomínio (Foto: divulgação)

Uma barbárie ambiental chocou a cidade de Manaus e defensores de animais em todo Brasil. Cerca de 200 periquitos-de-asa-branca, uma espécie nativa da região, apareceram mortos na semana passada no meio-fio da Avenida Efigênio Sales, situada na Zona Centro-Sul de Manaus. A suspeita é que os animais tenham sido envenenados e o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) afirmou que investigará o caso.
Próximo ao local está um condomínio de alto padrão que, em 2012, instalou telas na copa de palmeiras imperiais que ficam na frente do prédio para impedir que periquitos se instalem nas árvores. A justificativa é que os animais estariam prejudicando as palmeiras, mas aparentemente o barulho dos pássaros incomodava os moradores do local. Na época a ação teve autorização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

Proteger as árvores dos pássaros?

As telas deveriam ter sido retiradas um mês depois, mas até a semana passada ainda estavam no local, prendendo inclusive alguns periquitos. Os Bombeiros foram chamados na semana passada e abriram as telas. Um especialista ouvido pelo G1 afirmou que o equipamento contribui para a morte dos animais pois os deixa mais vulneráveis. Como não podem pousar nas árvores, os pássaros têm que ficar no chão e estão mais suscetíveis a atropelamentos e até envenenamentos.

Revolta

A população realizou um protesto pedindo que o crime seja apurado e os responsáveis, punidos. Foi criado também um abaixo-assinado pedindo que o Ministério Público, a Polícia Federal e o IPAAM investiguem o caso.

O síndico do condomínio foi notificado e ativistas exigem a criação do Instituto Municipal de Proteção à Fauna, que deverá cuidar exclusivamente das demandas relacionadas aos animais, sejam eles domésticos ou silvestres.






Catraca Livre

domingo, 23 de novembro de 2014

Paraíso das Águas: a cidade do futuro


Está concluída a obra de pavimentação na rodovia MS 316 que irá beneficiar diretamente os municípios de Paraíso das Águas e toda a região como: Inocência, Paranaíba, Água Clara e Três Lagoas. 

O trecho é de cerca de 150,9 quilômetros de extensão de rodovias com investimentos que somam R$ 213.685.034,950. 

Uma empresa de Brasília é responsável pelo asfalto e outra de Goiânia pela construção da ponte. A obra que integra o programa MS Forte 2 do governo do estado de Mato Grosso do Sul necessita ainda de alguns reparos a serem finalizados, mas a inauguração será em breve.

E como cita a canção...

"Estrada que era vermelha de terra
Que o progresso trouxe o asfaltado e cobriu
Estrada que hoje chama rodovia
Estrada onde um dia meu sonho seguiu"

Poeira da Estrada - Rick/João Paulo

...a conclusão dessa obra significa desenvolvimento, progresso e realização para os moradores da região.

Alcir Muller/Revista Ambiente Global

Produtor rural de Paraíso das Águas promete viver até aos 160 anos

Seu Álido Brun tem clientes por todo o país e é considerado o melhor produtor de queijos do MS. Com uma produção artesanal ele conquista clientes de várias regiões do Brasil e tem por objetivo viver até aos 160 anos.


À Revista Ambiente Global, contou que corre todos os dias e tem uma alimentação diferenciada, elaborada por ele mesmo, por isso está sempre ativo. Ele estará na FAMASUL, em Campo Grande, ensinando a receita para chegar a uma longevidade maior.



Da Redação
Fotos: Alcir Muller

Publicidade II