Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Destaque

Palestra Sustentabilidade Regional realizada 24 de maio em Maracaju, MS

Alcir Muller, diretor e presidente da Revista Ambiente Global A equipe Ambiente Global agradece as autoridades que se fizeram presente ...

Fazenda Beira Rio

Fazenda Beira Rio

Samania Agropecuária

Samania Agropecuária

Doces Gotas de Mel

Doces Gotas de Mel

Publicidade

.

.
SEMENTES SERTÃO

Você bilíngue

Publicidade II

Ads

terça-feira, 24 de maio de 2011

Fazendeira investigada por promover safári ilegal é multada em R$ 115 mil

É a segunda penalidade imposta pelo Ibama desde a Operação Jaguar II. Delegacia da Polícia Federal em Corumbá ainda investiga o caso.

Reprodução

A fazendeira investigada pela Polícia Federal por promover safáris ilegais no Pantanal de Mato Grosso do Sul recebeu duas multas do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), que somadas chegam a R$ 115 mil por caça profissional e por causar danos a uma unidade de conservação ambiental.
No município de Rio Negro, ela é dona de uma propriedade rural que faz parte da reserva estadual do patrimônio natural.
Logo após a Operação Jaguar II, deflagrada em 5 de maio, o órgão tinha aplicado multa de R$ 105 mil por caça ilegal e abate de animais ameaçados de extinção. Durante a ação policial foram apreendidos dois crânios de onça, 16 galhadas de cervos do pantanal e uma pele de sucuri medindo 3,5 metros.
As investigações da Polícia Federal e do Ibama tiveram início há cerca de um ano, com base em indícios de que uma quadrilha especializada em realizar safáris para estrangeiros agia em todo o Pantanal. A Operação Jaguar I levou à prisão oito pessoas em julho de 2010.
Entre as provas obtidas pela polícia está um vídeo que mostra a matança de duas onças – uma parda e outra pintada, que está em extinção – com a presença da fazendeira nas imagens. A delegacia da Polícia Federal em Corumbá ainda não concluiu o inquérito.

G1 MS
Postar um comentário

Publicidade II