Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Destaque

Palestra Sustentabilidade Regional realizada 24 de maio em Maracaju, MS

Alcir Muller, diretor e presidente da Revista Ambiente Global A equipe Ambiente Global agradece as autoridades que se fizeram presente ...

Jaburu Distribuidora

Jaburu Distribuidora

Rei das Latas

Rei das Latas

Redes Sociais

Fazenda Beira Rio

Fazenda Beira Rio

Samania Agropecuária

Samania Agropecuária

Doces Gotas de Mel

Doces Gotas de Mel

Publicidade

.

.
SEMENTES SERTÃO

Você bilíngue

Publicidade II

Ads

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Com início da piracema, pesca está proibida nos rios de MS

Divulgação
A proibição de pesca nos rios de Mato Grosso do Sul começou a valer na meia noite desta terça-feira (5). O período de piracema deste ano vai até o dia 28 de fevereiro do ano que vem.

De acordo com a PMA (Polícia Militar Ambiental), na Bacia do Rio Paraguai será permitida a pesca de subsistência para o morador ribeirinho, que pode capturar peixe de até 3 kg, ou um exemplar, não podendo comercializar de forma alguma.

Assim como ocorreu nos anos anteriores, o efetivo da PMA será de 329 policiais, lotados em 25 unidades em 18 municípios. O esquema especial já começa com a manutenção dos policiais que estão desde o dia 25 de outubro trabalhando na operação pré-piracema.

A polícia montará Postos Avançados nas principais cachoeiras e corredeiras nos rios do Estado para monitorar os cardumes. Para fins de subsistência é permitida uma cota diária de três quilos ou um exemplar, de qualquer peso, respeitando os tamanhos mínimos de captura estabelecidos.

A pesca durante a oiracema é considerada crime, dando de um a três anos de prisão, sendo acusada de pesca predatória e prevê multa de R$ 700 a R$ 100 mil e mais R$ 20 por quilo de pescado. Caso a pessoa não seja reincidente, há fiança, mas toda a pesca e material fica apreendido.

No período da piracema do ano passado, mais de 70 pessoas foram detidas por pesca ilegal, segundo a PMA.

Permissão - Nos lagos das Usinas do Rio Paraná é permitida a pesca de 10 kg de pescado mais um exemplar de peixes não nativos da bacia e exóticos como Tucunaré, Curvina, Porquinho, Tilápia etc. Para o pescador profissional não há limite de cota para a captura das mesmas espécies, porém, só é permitido o uso de molinetes, linhadas, caniços simples e carretilhas.

Campo Grande News
Postar um comentário

Publicidade II